Declaração de fé

A base única de nossa fé é a Bíblia, a Palavra de Deus, infalível, composta dos 66 livros do Antigo e do Novo Testamento. Cremos que ela foi inspirada pelo Espírito Santo de maneira singular, verbal e completa, e que foi escrita sem erro nos manuscritos originais. Ela é a autoridade suprema e final em todos os assuntos que fala.
 
Aceitamos o ensino doutrinário no qual, historicamente, tem havido concordância geral entre todos os verdadeiros cristãos. Devido ao feitio especial do nosso movimento, desejamos permitir liberdade de convicção em outros assuntos doutrinários, contanto que qualquer interpretação seja baseada somente na Bíblia, e que nenhuma dessas interpretações venha a se tornar um obstáculo que prejudique o ministério para o qual Deus nos chamou.
 
Explicitamente afirmamos nossa fé nos ensinos bíblicos básicos abaixo relacionados: 

  1. Trindade: Há um só e verdadeiro Deus eternamente existente em três pessoas – Pai, Filho e Espírito Santo, possuindo cada um com igualdade todos os atributos da Deidade e as características da personalidade.
  2. Jesus Cristo é Deus, a Palavra viva, o qual Se tornou carne através de Sua concepção miraculosa pelo Espírito Santo e pelo Seu nascimento virginal. Portanto, Ele é divindade perfeita e humanidade verdadeira, unidas em uma pessoa para sempre.
  3. Ele viveu uma vida sem pecado, e voluntariamente expiou os pecados dos homens por Sua morte na cruz como substituto deles, satisfazendo assim a justiça divina e trazendo salvação a todos os que confiam nEle somente.
  4. Ele ressuscitou dos mortos no mesmo corpo, ainda que glorificado, em que viveu e morreu.
  5. Ele ascendeu ao céu corporalmente e assentou-se à destra de Deus Pai, onde Ele, o único mediador entre Deus e o homem, faz intercessão contínua pelos Seus.
  6. O homem foi criado originalmente à imagem de Deus. Ele pecou pela desobediência a Deus; e assim se afastou do seu Criador. Essa queda histórica colocou toda a humanidade debaixo da condenação divina.
  7. A natureza do homem é corrupta, e por isso ele é totalmente incapaz de agradar a Deus. Todo homem precisa de regeneração e renovação pelo Espírito Santo.
  8. A salvação do homem é obra da graça de Deus inteiramente, e não resulta, no todo ou em parte, de obras humanas, ou bondade, ou cerimônias religiosas. Deus imputa a Sua justiça aos que colocam sua fé inteiramente em Cristo para a sua salvação, e por meio dela os justifica em Sua presença.
  9. Todos os que são nascidos de novo pelo Espírito têm o privilégio da certeza de sua salvação, desde o momento em que confiam em Cristo como seu Salvador. Essa certeza não se baseia em qualquer espécie de merecimento humano, mas é produzida pelo Espírito Santo, o qual confirma no crente o testemunho de Deus em Sua Palavra escrita.
  10. O Espírito Santo veio ao mundo para revelar e glorificar Cristo, e para aplicar a obra salvadora de Cristo aos homens. Ele convence os pecadores e os atrai a Cristo, transmite nova vida a eles, habita continuamente neles desde o momento do nascimento espiritual e os sela até o dia da redenção. Sua plenitude, poder e controle, o crente toma posse pela fé.
  11. Todo cristão é chamado a viver de tal forma no poder do Espírito que nele habita, que não venha a cumprir os desejos da carne, mas sim produzir fruto para a glória de Deus.
  12. Jesus Cristo é a cabeça da Igreja, que é Seu corpo, o qual é composto de todos os homens, vivos e mortos, que a Ele se uniram por meio da fé salvadora.
  13. Deus admoesta Seu povo a congregar-se regularmente para o culto, para a participação nas ordenanças, para a edificação por meio das Escrituras e para encorajamento mútuo.
  14. Por ocasião da morte física, o crente entra imediatamente em comunhão eterna e consciente com o Senhor, e aguarda a ressurreição do seu corpo para a glória e bem-aventurança eternas.
  15. Por ocasião da morte física, o não crente passa imediatamente à separação eterna e consciente do Senhor, e aguarda a ressurreição do seu corpo para o julgamento e a condenação eterna.
  16. Jesus Cristo voltará à terra – de maneira pessoal, visível e corporal – para consumar a história e o plano eterno de Deus.
  17. O Senhor Jesus Cristo ordenou a todos os crentes que proclamem o Evangelho a todo o mundo e façam discípulos de todas as nações. O cumprimento da Grande Comissão exige que todas as ambições terrenas e pessoais se subordinem a uma entrega total “Àquele que nos amou e se entregou a Si mesmo por nós”.